A serpente de Ouruburus- A aliança agressor/ vítima

12-04-2021

Vítimas de abuso, que podem ser de várias formas, abuso físico, emocional, psicológico, espiritual desenvolvem quase inevitavelmente sintomas de SPTC- Stress Pós Traumático Complexo. 

Abuso é toda e qualquer forma de violência sobre o espaço sagrado do outro. Sendo que o abuso é menos visível e fácil de identificar quanto menos na dimensão física (na matéria) e mais na súbtil ocorrer. Abuso também implica que o sujeito está a ser "usado", ou seja, que está a ser tratado como um objecto e não como um ser sagrado, divino.

O que leva ao desenvolvimento dos sintomas ou não, não está tão directamente ligado ao evento traumático em si, mas ao contexto em que a pessoa teve possibilidade ou não se se curar. O ser humano tende naturalmente à cura , e tem recursos para isso. Se não acontece, é porque não usufrui do Tempo e do Espaço para isso. A maior causa do STPT trauma é a falta de compaixão, empatia, proteção e amor das pessoas em redor, usualmente em crianças que estão no fundo desprotegidas pelos pais. Isto é muito comum por exemplo, nos casos de abuso infantil, em que o predador sabe identificar onde um inocente não tem as barreiras de proteção que deveria ter. 

Qualquer pensamento  de que a vítima "atrai" o predador, é em si mesmo um pensamento abusivo, violento, que responsabiliza a vítima e  desresponsabiliza o agressor. Já o ouvi inclusivé por uma defensora da educação da Nova Era, que se uma criança for abusada sexualmente lhe deve ser dito que isso foi uma escolha dela, que esta é a "vibração dourada". Muitos perigos se escondem em falsos mestres e falsos protectores, em qualquer área. E repito, os abusos também acontecem na dimensão espiritual/ energética. 

O agressor sente-se atraído pela presa, porque é doente, porque é um predador. Chega até ela se poder, e no caso de crianças, obviamente que o responsável é o adultos ou adultos cuidadores, e não o Anjo da Guarda da Criança que não tem manifestação física, por marcar limites entra ela e um possível mundo violento que a rodeia.


Muitas pessoas necessitam de terapia, precisamente porque não tiveram até ao momento actual, o contexto certo para se curarem. Até para encontrarem o terapeuta certo pode ser desafiante, pois com uma aura de abuso gravada, sem terem quem os defendesse e lhes ensinasse o que é justo e merecido ou não, podem ter dificuldade em se defender e em identificar agressores, e podem cair nas "garras" de salvadores que são agressores também, ou que pela sua ignorância vão perpetuar com a sua ideologia a culpabilização da vítima, talvez por eles mesmos não terem ainda consciência de abusos que possam ter sofrido.

Nunca me hei-de esquecer, a constelação da criança abusada, a curada era a k o pai batia no agaressor, a k ficava no chao a mae achava k tinha de o perdoar


Vítimas de abuso narcísico, k sofrem de SPTC podem tornar se narcisitas, e os empaticos são no fundo pessoas normais a quem foi negado o direito de cuidarem de si e exigencia de cuidarem das necessidades emocionais dos outros em casa, são treinados p isso... estão sp a tentar salvar o agaressor cm tentaram c o pais, ou por se culparem ou por verem se assim não eram tão agredidos... mas c o tempo, o coração pode gahar crosta e ficam c menos emaptia, e aí podem desenvolver traços de narcisismis. Uma vítima que se recusa a ser agreida, marca um limite ao agressor tb, k pode aprender ou ir em busca d enova vítima. se todas as vítimas pararem de ser vítimas, de aceitarem essa condiç~\ao e maracrem limites firmes, os agreassores teram de se virar uns p os otros, aí é afastarmo-nos da gladiação e assistir no máximo de bancada, e entregar a Deus. Acredito k a marcação de limites vai seprara o trigo do jóio. e os outros ou se curam, ou são excluidos do ciclo de agreassao, e c o tempo, mais uma gerações, teremos uma huamnidade diferente.e mais são. não, os "bons" não têm de cuidar do k ficaram maus, p isso existe terapeutas. é esse pensamnrto que nos tem vibdo a destruir. Temos de ser mais cm arcanjo miguel e menos cm cristo na cruz.,